Papo Tático: Vitória 2×2 CRB

Papo Tático: Vitória 2×2 CRB

18/11/2019 0 Por Mateus Batista da Silva

EMPATE VALIOSO

Em partida valida pela 35ª rodada, o Vitória empatou em 2×2 o jogo com o CRB, perdendo a chance de “entrar de férias em 2019”. Geninho promoveu duas mudanças em relação a escalação inicial do jogo contra o Paraná, voltando Everton Sena a zaga no lugar de Zé Ivaldo e optou pelo retorno de Wesley no lugar de Eron.

Vitória na plataforma 4-1-4-1 com variações para 4-1-2-3.

O CRB no 4-5-1, jogando apenas com Léo Ceará no comando de ataque.

Escolhemos o lateral Thiago Carleto como o melhor do Vitória no jogo. O que menos produziu, escolhemos Felipe Garcia.

O JOGO

O CRB, que ainda brigava pelo acesso, chegou a Salvador para tentar pontuar para continuar na luta pela vaga na Série A. Mas foi o Vitória que tomou a iniciativa da partida e assustou com uma descida de Garcia pela direita e outra de Wesley pela esquerda.

O primeiro tempo do Vitória foi abaixo. O fator psicológico influenciou no desempenho e concordei quando Geninho comentou na coletiva falando que o episódio dos atletas não concentrarem pode ter impactado, pois queriam mostrar para a torcida que aquilo não ia impactar no desempenho. Ai os atletas confundiram pressa com velocidade.

Comento sempre que as vezes o Vitória precisa pisar na bola para respirar, porque é uma correria desenfreada o todo o tempo, e não foi diferente nessa partida. Com essa correria, vem os erros de passe, escolhas mal feitas, etc.

MARCAÇÃO NA SAÍDA DE BOLA

Em alguns momentos da partida, Candido avançava a linha com Anselmo, fazendo um 4-4-2 e marcava a saída de bola, forçando o adversário a rifar e conseguimos algumas recuperações rápidas, mas mal aproveitadas.

Cândido na primeira linha, marca a saída de bola do CRB.

ORGANIZAÇÃO OFENSIVA

Vitória jogava ofensivamente no 4-1-2-3, com Léo Gomes na contenção e Rodrigo Andrade dobrando com Felipe Garcia e Lucas Candido com Wesley. Foi uma formação que não funcionou, tanto que Geninho mudou a plataforma no segundo tempo para um 4-2-1-3, com Gedoz na vaga de Andrade. Equipe conseguiu melhorar o desempenho e  articular melhor as jogadas.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Por estar atrás do placar duas vezes, acabou sendo um resultado importante e ainda conseguiu abrir mais um ponto da zona maldita.

É isso aí galera!

Por: Mateus Batista / @Mbatistasilva

Foto:  Edição nossa