Papo Tático: Paraná 0 x 0 Vitória

Papo Tático: Paraná 0 x 0 Vitória

11/11/2019 0 Por Adson Piedade

EMPATE VALIOSO

Vitória atuou no estádio Dorival de Brito em Curitiba contra o Paraná pela trigésima quarta rodada do Campeonato Brasileiro de 2019 Série B. O treinador Geninho manteve sua trinca de volantes do jogo passado, Léo Gomes, Candido e Andrade. Definiu o time com a manutenção de Eron no ataque como extremo.

Vitória na plataforma 4-1-4-1 com variações para 4-1-2-3 e 4-3-3

O Paraná no 4-4-2 encontrava dificuldades para criar chances limpas, mesmo com o péssimo primeiro tempo que o Vitória fez.

Escolhemos o goleiro Martin Silva como o melhor do Vitória no jogo.

O JOGO

O Paraná, que talvez jogava sua ultima cartada para continuar brigando pelo G4, tomou para si as iniciativas da partida e a posse de bola. O time do Paraná tinha uma estratégia bem definida, finalizar. E de qualquer distancia ou ângulos, os atletas paranistas eram induzidos a chutar a gol. Faltou pontaria é claro. O time respeitou a solidez defensiva criada por Geninho no Vitória e as vezes se precipitava com finalizações improváveis ao invés de servir melhor seu companheiros.

O Vitória também viajou para trazer pontos de Curitiba visando se afastar mais ainda do Z4. Mas, o time novamente não apresentou a mesma qualidade nas quatro fases do jogo da partida anterior no Barradão. No entanto, se faltou técnica continuou sobrando disposição.

Andrade e Candido jogaram o primeiro tempo ruim, Van e Carleto foram discretos. Com isso o time perdeu toda a evolução de jogo.

ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA

Organização defensiva 4-1-4-1 – Referência mista

No lance, Gomes esquece a real função defensiva do volante entre linhas e na evolução da jogada Van que tinha perseguido o extremo deixa espaços em suas costas. Faltou atenção.

TRANSIÇÃO OFENSIVA

A transição ofensiva do Vitória no primeiro tempo não funcionou. O time não conseguia sair de trás com bolas limpas. Fazia o passe de circulação defensiva em U e só.

Na captura Van passa para Garcia e evolui para frente esperando uma devolução de primeira, o atacante não se sente confortável e hesitou, logo, Zé Ivaldo de frente para o lance não faz a leitura de servir como opção de retorno e Garcia perde a bola.

ORGANIZAÇÃO OFENSIVA

O Vitória que tem organização ofensiva de 4-2-3-1 e 4-3-3 foi totalmente apático no primeiro tempo. Sem construção e transição, a organização ofensiva é nula e carente das primeiras e segundas bolas, além de aguardar o acaso.

TRANSIÇÃO DEFENSIVA

A transição defensiva ponto forte do time desde a chegada de Tencati. E foi melhorada com chegada de Amadeu e consolidada por Geninho. O time realmente é muito abaixo da média, logo, entendemos que o jogo defensivo foi a cartada principal para chegarmos ainda lutando para continuar na Série B.

O time tem conseguido chegar com mais gente atrás da linha da bola, tendo superioridade numérica nos setores e se posicionando melhor para defender.

No frame a cima, temos 5 contra 3 e 4 atrás da linha da bola, mas Gomes perde a primeira ola que veio de um passe longo após pressão na frete. No desenrolar do lance Martin salva, mas tínhamos 2 x 1 no final da jogada.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Devido as circunstância que o Vitória vive na tabela, foi importante não perder. Equilibrar o jogo no segundo tempo também traz esperança para a próxima partida diante do CRB, jogo quer pode selar de vez o Vitória na Serie B 2020.

É isso aí galera!

Por: Adson Piedade / @AdsonPiedade

Foto:  Edição nossa