Papo Tático: Vitória 3 x 0 Brasil-RS

Papo Tático: Vitória 3 x 0 Brasil-RS

08/11/2019 0 Por Paulo Roberto

Vitória tem um dos melhores jogos na série B e derrota com tranquilidade o Brasil-RS, pelo placar de 3×0.

Em noite que marcou a volta das redes rubro-negra nos gols, o Leão da Barra apresentou um ótimo futebol, principalmente no segundo tempo, e  mais aliviado na luta  pela permanência na segunda divisão de 2020.

O JOGO: PRIMEIRO TEMPO

Geninho trouxe a campo um time diferente do último jogo. Veio com três volantes (Cândido, Léo e Rodrigo Andrade). Já na frente Garcia, Eron e Anselmo. Na defesa, Van retornou a lateral direita.

Vitória começou proporcionando uma pressão inicial, apertou o Brasil de Pelotas e conseguiu criar algumas chances claras de gol, devido a esse volume de jogo intenso exercido no começo da primeira etapa.

Com o passar do tempo, para a surpresa de muitos, não de quem acompanha o time sulista, o Brasil colocou a bola no chão e começou a valorizar a posse de bola. Ótima troca de passes, passes rápidos, no entanto, não objetivos. O Vitória tentava apertar o adversário em seu campo, mas não conseguia encontrar êxito pela eficiência do Brasil em manter a posse de bola.

Jogo era bastante movimentado, Brasil-RS, teve duas chances de sair na frente do placar, mas desperdiçaram e não tiveram mais chances durante o jogo inteiro.

Vitória com a bola jogava no 3-4-3, com Léo Gomes fechando na primeira linha de três, entre Ramon e Éverton Sena. Cândido e Andrade na linha de quatro, com Carleto e Van que fechavam no meio, devido a liberdade que a primeira linha proporcionava. Por fim, na frente Eron, Anselmo e Garcia. (Confiram na imagem abaixo).

Nesta captura, vemos uma variação do 3-4-3, Van avança do meio para o setor ofensivo, trazendo presença numérica ao setor e amplitude. Com isso, o time passou neste lance para o 3-3-4.

Sem a bola, jogava num 4-1-4-1, que variava pro 4-1-3-2, pois sempre um volante avançava na última linha acompanhando Anselmo na pressão na saída de bola do adversário, já que Eron e Felipe Garcia seguravam os laterais do Brasil. Na segunda linha, Léo Gomes era o único volante.

Vitória sentia falta de um meia de criação, os volantes (em alguns momentos do jogo) ficaram muito presos na boa marcação do Brasil, e não houve tanta criação, faltou um jogador pra jogar entre as linhas adversária. (Imagem). No entanto, o Vitória conseguia atacar com ligações diretas para os pontas, que estavam também fechando no meio, principalmente Eron.

Aqui podemos notar os três volantes que Geninho escalou, presos na boa e compactada marcação adversária.

Gostaria de destacar algo interessante na imagem abaixo, no jogo passado, contra o Figueirense, o Vitória sofreu seu primeiro gol após cruzamento numa bola parada, onde tinha um jogador adversário livre no primeiro pau, erro de marcação. Já neste jogo, houve uma preocupação maior neste quesito:

Nesta imagem, existe uma superioridade numérica do rubro-negro baiano no primeiro pau, mostrando que houve uma reavaliação neste ponto. Muitas bolas foram interceptadas nos lances aéreos por conta deste posicionamento. Bola parada ganha jogo. Ainda nesta análise, verão.

Faltando dez segundos para acabar o primeiro tempo, o Vitória conseguiu marcar seu primeiro gol, após bela jogada de Anselmo Ramon. (Confiram na imagem abaixo).

Neste lance, Anselmo Ramon recebe pelo lado do campo, automaticamente, Lucas Cândido se infiltra onde o 9 rubro-negro “deveria” estar. Anselmo executa um bom cruzamento e Cândido testa pro fundo da rede.

Lucas Cândido novamente fez um grande jogo! Explorou muitos lançamentos, desarmou e se fez presente no setor ofensivo. (Confiram na imagem abaixo).

O volante aproveita o espaço que Eron deixou por ter ido buscar o passe de Carleto e entra na última linha.

Primeiro tempo terminou assim, 1×0.

SEGUNDO TEMPO

Na segunda etapa o time mandou no jogo! Voltou com uma postura mais agressiva, ofensivamente falando. Propôs mais o jogo e criou inúmeras chances de gols. O Vitória enfim conseguia fazer triangulações, conseguiu ter mais dinâmica no ataque e foi coroado com dois gols (poderia ter feito mais).

Do outro lado, o Brasil de Pelotas, não voltou no intervalo errou muitas transições e quando tinha a posse de bola, se fazia nula. Time ficou muito preso e não levou perigo ao gol defendido por Martin Rodriguez.

O Vitória concentrou muito suas ações no lado esquerdo do campo, principalmente no primeiro tempo, já no segundo, houve mais presença da dobradinha Van/Garcia, mas acho que poderiam ter aparecido mais no jogo.

Logo aos 3 minutos, o time chegou ao seu segundo gol, após jogada ensaiada em cobrança de falta. (Confira nas imagens abaixo).

Nesta imagem, nota-se a defesa adversária em linha. Sena (autor do gol) encontra-se sem marcação estando atrás dos demais jogadores.

Rodrigo Andrade ameaça cruzar e passa da bola, o suficiente para desmontar toda defesa do Brasil. Todos foram pra frente, enquanto os jogadores do Vitória permaneceram no mesmo lugar. Quando Carleto cobrou, uma possível linha de impedimento já havia sido desmontada. Sena se infiltra entre três jogadores, livre livre para marcar.

Depois, Eron marcou seu primeiro gol no profissional. Merecido, o garoto jogou muito. Com os 3-0 na caixa, o Vitória segurou mais o jogo e se protegeu mais.

Aqui vemos as linhas do Vitória baixas. Time se recuou um pouco e permitiu que o Brasil ficasse com a bola. Assim o Leão começou a explorar os contra-ataques.

O Vitória soube controlar o jogo. Geninho sacou Anselmo, Andrade e Léo Gomes para a entrada de Gedoz, Baraka e Romisson respectivamente. Não mudou a maneira de atuar em campo, somente quando Gedoz ia fazer a função de falso 9, na última linha.

O Vitória precisa trabalhar muito no condicionamento físico dos jogadores. Na metade da segunda etapa, o time já estava cansado. Carleto terminou a partida atuando mais por dentro, enquanto Cândido cobria a esquerda, ambos cansados, dentre outros jogadores.

E terminou assim, 3×0 pro Vitória.

OS DESTAQUES

Destaques positivo: Fico com Ramon, Cândido e Eron. O primeiro, marcou muito, armou jogadas, destruiu lances, vem jogando muito. Cândido esteve em todo canto do campo, muita raça e qualidade, roubou muitas bolas e iniciou transições, além de suas infiltrações no ataque. Por fim, Eron jogou muito! Caiu pelas beiradas, onde não é familiarizado, mas explorou o 1×1, e teve espaço pra flutuar atrás de Anselmo no meio.

Destaques negativo: Não achei que teve um muito abaixo. Gostaria de ver a presença de Felipe Garcia e Van mais efetiva no jogo.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Foi sem dúvidas um dos melhores jogos do Vitória no ano! Defesa e ataque quase impecáveis. Time bem compactado, se defendeu muito bem e não cedeu muito espaços. Já no ataque, apesar da ausência de um meia, conseguiu criar chances de gol e teve superioridade em relação ao adversário. Foi um passo importante para a permanência na segundona, agora restam 5 pontos para escapar de vez do rebaixamento. Agora é atingir essa meta e começar a organizar a casa pro ano que vem.

Por: Paulo Roberto/@Paulorobert1899
Imagens: Edição nossa.