Papo Tático: Vitória 0 x 0 Operário

Papo Tático: Vitória 0 x 0 Operário

27/08/2019 0 Por Paulo Roberto

Em jogo válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro da série B, Vitória e Operário empatam sem gols no Barradão.

Com novas mudanças no time, promovida pelo técnico Carlos Amadeu, o rubro-negro criou chances, manteve o domínio durante grande parte do jogo, mas não saiu do 0x0 contra o time paranaense.

O JOGO

Carlos Amadeu alterou novamente o time para este duelo, enquanto no jogo passado ele deixou Jordy Caicedo no banco de reservas, e Anselmo de titular, contra o Operário o treinador rubro-negro alternou, tendo o gringo na equipe titular e Anselmo no banco.

A verdade é que ninguém consegue entender o por quê do treinador ter promovido essas duas mudanças. Visto que, o time vinha conquistando resultado com os dois avantes, mas agora, acumulou apenas dois empates em casa.

Amadeu promoveu o retorno de Chiquinho, jogando mais à frente pelo lado esquerdo, enquanto Wesley (que retornou de suspensão) foi opção pelo lado direito e Jordy centralizado. O Vitória veio a campo numa espécie de 4-2-3-1, no entanto, essa plataforma de jogo variou muito pro 4-4-2, com Gedoz e Jordy na última linha (Confira na imagem abaixo).

Nesta imagem vemos o time posicionado no 4-4-2 sem bola. Detalhe para o papel que Chiquinho desempenhou no esquema tático, protegendo muito o lado esquerdo, cobrindo Capa.

A marcação do Vitória na primeira etapa foi intensa. Em diversos momentos podemos notar o time pressionando o adversário em seu campo, não dando espaço para que o Operário pudesse trabalhar a bola (Confira nas imagens abaixo).

Nessa captura podemos notar que o lance se passa por um arremesso lateral do adversário em seu campo. No entanto o Vitória adiantou suas linhas e povoou quase totalmente o lado direito do Operário, com o intuito de roubar a bola com rapidez. Notemos os 10 jogadores do Vitória na imagem, sendo Van o mais distante, porém fechando na linha.

Neste momento da partida, o Vitória pressiona o Operário em seu campo, com jogadores na marcação e outros na sobra. Única opção do adversário é recuar para o goleiro.

O Vitória pecou muito na finalização. Desperdiçou inúmeras chances de gol. Se pegarmos os melhores momentos do jogo, cerca de 85% dos lances se passará do Leão no ataque, pena que não resultou em gols.

Uma grata surpresa na minha opinião, foi o jogador Chiquinho, que apareceu em alguns momentos no ataque com propriedade e também criando na segunda linha, em um desses lances, achou uma boa bola pra Jordy, que não aproveitou. (Veja um dos lances de Chiquinho na captura abaixo).

Neste lance, Chiquinho aparece como elemento surpresa no meio da defesa adversária, enquanto Jordy puxa a marcação mais pro lado direito.

Fim da primeira etapa.

SEGUNDO TEMPO

O Vitória não voltou do intervalo da mesma maneira. Deixou o time paranaense jogar, recuou suas linhas e esperou mais o adversário, principalmente nos minutos iniciais até o meio do segundo tempo.

O Operário mostrou durante todo o jogo estar “amando” o resultado de empate, mas isso não os impediu de ter a posse de bola no nosso campo, com o intuito de nos trazer perigo. (Confira na imagem abaixo).

Nesta captura, podemos notar a primeira linha do Operário avançada no meio campo, pondo o time para o ataque. Além disso, os jogadores de meio, estavam com liberdade para criar jogadas.

Carlos Amadeu, sacou Capa para a entrada de Nickson ainda no intervalo, com o intuito (segundo o mesmo) de trazer o time mais pro ataque. Segundo também palavras do mesmo “o tiro saiu pela culatra”. Nickson errou muito, não agregou.

Anselmo também entrou em campo, no lugar de Wesley. O time ficou com pouca velocidade após essas mudanças. O Vitória enfrentou também um problema de criação em determinados momento do segundo tempo. (Confira na captura abaixo).

Já nesta imagem, nota-se um buraco em parte do sistema ofensivo do Vitória. Linhas muito distantes, pouco dinamismo na transição pro ataque.

Um dos fatores preponderantes para o resultado, foi a falta de pontaria dos jogadores. Muitos gols perdidos.

Amadeu ainda tirou Cândido para a entrada de Eron (aos 39 do segundo) o jovem atleta perdeu um gol no último segundo do jogo.

E terminou assim, 0x0.

OS DESTAQUES

Positivo: Gostei da partida dos laterais Van e Capa, ambos seguros e o primeiro com grande presença ofensiva, apesar de errar cruzamentos.

Negativo: Gedoz, ao meu ver, foi muito abaixo! Não sei se o desgaste está interferindo, mas aparenta estar preguiçoso em campo. Jordy Caicedo também não correspondeu, errou em duas grandes oportunidades. Por fim, Nickson, o pior do time!

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Foi um placar muito ruim para um time que está brigando pra não cair, como é o nosso caso. Vitória perdeu 4 pontos importantes nesses últimos dois jogos em casa, visto que, pelos adversários, dois triunfos não deveria ser tão difícil. Carlos Amadeu pecou novamente na escalação e nas mudanças, e, mais uma vez pagamos muito caro! A plataforma de jogo que estava dando certo, tem que ser implantada novamente, ao final das contas, time que ganha, não se meche, entendeu professor?

É isso aí galera!

Por: Paulo Roberto/@Paulorobert1899
Imagens: Edição Nossa.