Papo Tático: Vitória 0x0 América-MG

Papo Tático: Vitória 0x0 América-MG

22/08/2019 0 Por Mateus Batista da Silva

BOLA FORA DO PROFESSOR

Em partida valida pela décima sétima rodada da Série B do Brasileirão, o Vitória empatou sem gols com o América-MG e interrompeu a sequência de vitórias dentro da competição. O treinador Carlos Amadeu fez mudanças inesperadas e ilógicas na equipe, indo de encontro ao ditado futebolístico: Time que está ganhando não se mexe! Além de mexer nas peças, durante a partida também mudou a plataforma, piorando o desempenho da equipe. Enfim, uma lástima.

Vitória iniciou a partida com a mesma plataforma dos jogos anteriores, no 4-4-2, com variações para o 4-2-3-1. Ruy entrou na vaga de Jordy, fazendo a linha de frente com Anselmo. Não funcionou! Esperava-se um pouco mais de posse de bola com a presença do meia, porém o filme foi contrário.

O América surpreendeu, e entrou com 3 meias rápidos e jogou no 4-2-3-1. Giovanni, ex-base do Vitória, foi uma dessas peças.

Escolhemos o zagueiro Everton Sena como o melhor do Vitória no jogo.

O JOGO

Me parece que o América surpreendeu o treinador rubro-negro entrando com uma linha de três meias rápidos. O Vitória foi passivo no jogo e aceitou o domínio mineiro na partida. O Coelho dominou as ações e foi mais efetivo durante o jogo. Porém o Vitória contribuiu para essa soberania mineira, pois em momento nenhum fez marcação alta e não pressionou a saída de bola do adversário, prática que foi adotada em outras partidas no Barradão. Ruy, fazendo o papel de atacante, não tem força e velocidade para pressionar a saída de bola. Com isso, nossa linha de marcação ficou em bloco médio baixo.

ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA

Mesmo não sendo um primor de organização, já conseguimos enxergar evolução no sistema defensivo rubro-negro. São 3 jogos consecutivos sem sofrer gols. Com a bola mineira saindo limpa no campo defensivo, os volantes e zagueiros foram mais exigidos. Com a pressão, muitas vezes ela chega quebrada, facilitando o trabalho dos zagueiros.

TRANSIÇÃO OFENSIVA

O Vitória ficou pouco com a bola, principalmente no primeiro tempo. Muita ligação direta, sempre buscando a segurada de bola de Anselmo, para que Ruy ou Gedoz se aproximasse. Thiaguinho era válvula de escape pelo lado esquerdo do ataque. Não foi muito efetivo e pipocou na única chance de gol clara que tivemos na partida.

MUDANÇAS NA SEGUNDA ETAPA

Na segunda etapa, Amadeu mudou a plataforma de jogo para um 4-2-1-3, deixando Gedoz flutuar mais a frente da linha dos atacantes. Sacou Ruy, que foi inoperante e voltou com Jordy como extremo, mantendo Anselmo como referência.

Jordy inicia a segunda etapa como extremo pelo lado direito

Thiaguinho era o extremo do outro lado. Time perdeu o poder de marcação, e a linha de três meias do América conseguia jogar com mais liberdade.

Superioridade numérica do América após mudança de plataforma do Vitória

Com 15 minutos, sacou Anselmo para a entrada de Eron (???), deslocando Jordy para referência. A partir dos 25 minutos, o Vitória ficou mais com a bola por conta da expulsão de um atleta do América. Mas mesmo com um jogador a mais, o Vitória cadenciada o jogo em excesso. Não acelerava as jogadas e não conseguia concluir em gol. 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Espero que Amadeu tenha errado tudo que tem direito nessa partida. Além de escalar mal, mudou as peças pior ainda. Atletas fora de suas características a tendência é que produzam menos. Voltou com Jordy de extremo. Depois Eron de extremo. Na coletiva, falou de poder polpar Anselmo no sábado. Veremos se vai ter peito para manter a plataforma no jogo de sábado, mostrando que “sei o que estou fazendo” ou vai voltar atrás no esquema com dois atacantes por dentro. Ponto positivo para a presença do torcedor que foi em um bom número, levando em consideração o horário da partida. Sábado temos que mostrar força e continuar nossa caminhada, pontuando sempre.

É isso aí galera!

Por: Mateus Batista / @MBatistaSilva

Foto:  Edição nossa