Papo Tático: Figueirense 1 x 1 Vitória

Papo Tático: Figueirense 1 x 1 Vitória

02/08/2019 0 Por Adson Piedade

PONTOS PERDIDOS! PODE FAZER FALTA…

Vitória atuou no estádio Orlando Scarpelli em Santa Catarina contra o Figueirense pela décima terceira rodada do Campeonato Brasileiro de 2019 Série B. O treinador Loss fez algumas modificações no time por conta de desgaste físico. Definiu o time com a manutenção de Chiquinho na lateral e a surpresa de Capa como extremo esquerdo. Ruy voltou ao time como extremo direito na plataforma sem a bola de 4-4-2 em linha e 4-2-3-1 no momento ofensivo.

Vitória na plataforma 4-4-2 com variações para 4-2-3-1

O Figueirense com meio campo em V e com três atacantes com variações para um 4-4-2 e 4-3-3

Escolhemos o lateral direito Van e Gedoz como os melhores do Vitória no jogo.

O JOGO

O Figueirense mesmo com problemas extra campo, tentou a todo o momento impor seu jogo. Principalmente com as investidas do Willian Popp e do centroavante experiente Rafael Marques.

O Vitória também viajou para trazer pontos de Santa Catarina, com o time mais ajustado e conseguindo mostrar uma evolução de jogo, utilizava o bom fundamento de pivô do Anselmo Ramon e a categoria de Gedoz para escapar da marcação inicial sobre pressão que o adversário exerceu.

ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA

Organização defensiva 4-4-2 – Referência o oponente

Como o Vitória marca os flancos com referência no Homem, se a tabela do adversário sai com perfeição e rapidez, encontra buracos na ultima linha do time devido à perseguição. Como na captura, Chico sai na caça e Capa tenta ir até o final com o lateral adversário. Ambos não tiveram êxito.

 TRANSIÇÃO OFENSIVA – IDEIA BOA, MAS LENTA.

Troca de função entre Ruy e Gedoz confunde sistema do adversário.

Vitória sobe o terreno com cadência e jogo de passes e posição. Nesse lance existe a troca de posição entre Gedoz e Ruy. Mas, a lentidão da bola precisa ser corrigida para atingir níveis mais rápidos na transição para agredir a primeira linha do oponente com superioridade numérica.

ORGANIZAÇÃO OFENSIVA

Com a transição bem trabalhada o Vitória conseguiu melhorar as ideias de construção do time na organização ofensiva que é de plataforma 4-2-3-1. Nesse jogo os volantes ficaram mais fixos e acredito que por estratégia do treinador pelo jogo ser fora de casa. Nem Baraka e nem Gomes atacaram espaços sem a bola como no Barradão.

TRANSIÇÃO DEFENSIVA

A transição defensiva continua sendo adequada, mas ainda é preciso trabalhar o momento do pressing nos flancos já que a referência é o jogador adversário e não a bola. A abordagem na hora de sair na caça precisa ser mais forte, enquanto o extremo que acompanha o lateral tem que ser mais ativo e propositor que reativo. Ou seja, não deixar para sair depois que o ala adversário acelera.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Devido as circunstância final da partida, e pela urgência do Vitória em vencer jogos seguidos para deixar o Z4, acreditamos ter desperdiçado uma ótima chance de três pontos. O time competiu, jogou. Mas esbarrou na falta de mais ganância em vencer. Algumas escolhas do treinador após a expulsão do jogador do Figueirense acabou sendo também um empecilho. Gedoz estava cansado e poderia jogar mais recuado abrindo mão assim de um dos volantes. Em contra partida, Loss poderia colocar mais um jogador agudo dos lados e não Nickson que só cadência jogo. Agora, é correr mais uma vez atrás do prejuízo.

É isso aí galera!

Por: Adson Piedade / @AdsonPiedade

Foto:  Edição nossa