Papo Tático: Vitória 2 x 0 Criciúma

Papo Tático: Vitória 2 x 0 Criciúma

21/07/2019 0 Por Adson Piedade

UM SEGUNDO TEMPO PARA TRAZER ESPERANÇA…

Vitória atuou no estádio Barradão contra o Criciúma pela décima rodada do Campeonato Brasileiro de 2019 Série B. O treinador Loss que teve mais 11 dias para treinamento, definiu novamente 4-2-3-1 como plataforma de jogo.

Vitória na plataforma 4-2-3-1 com variações para 4-4-2 e 4-1-4-1

O Criciúma dentro de um 4-1-4-1 com variações para um 4-4-2 e 4-3-3

Escolhemos o volante Baraka e Anselmo Ramon como os melhores do Vitória no jogo.

O JOGO

Loss optou por manter Ruy e Gedoz, em alguns momentos o posicionamento desses dois meias tornava nosso meio campo no formato de quadrado.

O Criciúma veio a Salvador buscar pontos, mas pecou na atitude, pois não tinha uma ideia bem defina de estratégia. O time não sabia se fechava os espaços em bloco baixo e ou se tentava ter a bola. O atacante ex Vitória Vinicius era o único responsável pelas escapadas, então era pouco para contra atacar.

Se contra o Cuiabá focamos a análise nos quatro momentos do jogo, que vocês podem rever clicando aqui, hoje pegamos algumas capturas que respalda o texto passado.

ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA

Adversário entre linhas, mas a bola está coberta

TRANSIÇÃO OFENSIVA E ERROS DE LEITURA.

Primeiro tempo Rocha continuava sem avançar e dar amplitude

ORGANIZAÇÃO OFENSIVA

Loss apostou na troca de posição na linha de 3 meias no jogo contra o Cuiabá, dessa vez não houve inversão de lado, mas, Ruy e Gedoz puderam flutuar mais no momento ofensivo, com Wesley fixo na esquerda. Gerando uma forma a mais de quebrar a marcação adversária.

Jogo entre linhas foi corrigido

Na captura abaixo, vamos mostrar uma evolução de pensamento e de atitude para impor o que se treina, volantes também procurando atacar espaço e atletas procurando mais o jogo entre linhas. Além disso, várias jogadas possíveis ao mesmo tempo em um só lance, cabendo ao portador da bola fazer a melhor escolha. “Tomada de decisão, responsabilidade do jogador”.

TRANSIÇÃO DEFENSIVA

Os atletas estão conseguindo trabalhar mais em grupo para pressionar em zonas médias, enquanto outro grupo de atletas retomam seus posicionamentos nas linhas.

Ocupação de espaços em bloco médio. Marcação por zona com referência na bola.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O treinador do Vitória nos mostra na partida contra o Criciúma que reconheceu os erros que o time teve contra o Cuiabá em duas fazes do jogo. Transição ofensiva e organização ofensiva. Situações corrigidas principalmente na segunda etapa do jogo. Mas, se o jogo entre linhas foi corrigido, o preenchimento da área ainda não. No entanto, pode ser à maneira do modelo do treinador, que prefere que seus jogadores encontre o companheiro com passe preciso, mesmo em menor numero na área. Como foi o gol de Anselmo de cabeça. Ainda assim, só justifica, se o time ganhar a bola de retorno, chamada de segunda bola. Entendo que a partir de agora, a atitude de jogo que o clube deve pensar para o futuro é aquela dos 35 minutos do segundo tempo. Loss fez algumas substituições forçadas, mas entendo que escolheu as peças erradas, alterou a plataforma de jogo e atraiu o Criciúma sem ter uma válvula de escape consolidada, ainda que, Thiaguinho estivesse em campo, não tinha o Vitória uma ideia de rendimento do jogador em jogos como profissional. Vencemos e estamos a 4 rodadas do G4, é preciso mirar alto e tentar fazer essas cinco vitorias seguidas, o que deixa o clube próximo do pelotão de frente do campeonato.

É isso aí galera!

Por: Adson Piedade / @AdsonPiedade

Foto:  Edição nossa