Papo Tático: Vitória 1×3 São Bento

Papo Tático: Vitória 1×3 São Bento

24/05/2019 0 Por Mateus Batista da Silva

Em partida válida pela quarta rodada da Série B, o Vitória perdeu mais uma, desta vez dentro dos seus domínios e acabou derrubando o treinador Claudio Tencati. Com um primeiro tempo equilibrado, conseguiu sair na frente, mas se desequilibrou após tomar o gol de empate. Na primeira metade do jogo, conseguiu circular a bola, ultrapassagem dos laterais, triangulações. Porém, além da equipe ter deficiências técnicas, fatores físicos e psicológicos vem contribuindo para a má fase do Vitória.

O JOGO

O Vitória entrou com várias modificações em relação a última partida. Só no sistema defensivo foram três mudanças. Promovida a estreia de Lucas no gol. Troca de Matheus na lateral direita. Saiu o Rocha e entrou o Farinha. E Ramon assumiu o posto de Victor Ramos, que já bateu em retirada. Apesar das mudanças nas peças, a plataforma de jogo continuou o mesmo 4-2-3-1, variando para um 4-4-2, com Nickson mais próxima de Neto. No início da partida com as linhas mais altas e pressionando a saída de bola do São Bento, o Vitória conseguiu pelo menos duas chances de gol.

Escalação de Tencati mantendo a mesma plataforma das últimas partidas

Como o São Bento jogava com bloco baixo, com modelo reativo, o Vitória tinha tranquilidade de sair jogando com seus zagueiros e volantes. Marciel deu uma qualidade a transição defesa-ataque, mas erros de posicionamento e movimentação do bloco ofensivo, faziam com que nem todas as jogadas tivessem prosseguimento. Na captura abaixo, o camisa 8 rubro-negro aciona Matheus Farinha. Felipe Garcia corre pra dentro da área, sendo que poderia aproximar para triangular.

Movimentação de Marciel no campo de ataque

O volante do Vitória, que fez sua estreia nessa partida, conseguiu dar uma dinâmica maior ao meio campo. Com Nickson também se movimentando bem, no primeiro tempo o Vitória conseguiu “jogar”, situação que não vinha ocorrendo a bastante tempo. Na animação abaixo, mais uma jogada que foi iniciado por Marciel, com participação de Capa e Potó.

Alguns fatores foram preponderantes para o resultado negativo. Primeiro que o time tecnicamente é limitado. Isso é fato. Acredito que melhore com a chegada de Ivaldo e Gedoz. Segundo ponto é o psicológico. O Vitória quando sofre um gol, parece que morreu um familiar. O time apaga e não tem forças para reagir. Terceiro, as mudanças de Tencati que foram equivocadas. Apesar do bom jogo de Marciel, a parte física pesou e ele deveria ter sido substituído. Acredito que com a saída de Nickson, o poder ofensivo diminuiu. Apesar de não ter forte as características de um meia central, o camisa 10 vinha desempenhando bem a função. Após a sua saída, Felipe Garcia (?????) estava fazendo esse papel.

OS DESTAQUES

Positivo: Marciel. Apesar de ainda estar fora de ritmo, se movimentou bastante, aparecia constantemente perto da área. Se cuidar da parte física, vai ajudar muito no restante da temporada.

Negativo: Capa. Fez bem as ultrapassagens, mas pecou muito na finalização das jogadas. Na parte defensiva, tomou um baile de Regis Sousa.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Tencati não resistiu a mais um resultado negativo e foi demitido do clube. Acredito que a nova diretoria já tinha um nome para assumir o comando técnico, mas preferiram manter Claudio Tencati por questão de bom senso e para avaliar o trabalho do treinador, como o próprio presidente afirmou. Quando apareceu a primeira oportunidade em que  imprensa e a torcida gritaram, a direção não contou duas vezes e fez a mudança no comando técnico, agora dentro da filosofia que a direção acredita. O rendimento ofensivo melhorou com Nickson, mesmo não sendo aquela meia de origem. Felipe Garcia está pegando ritmo e ajudando muito. Testaria como um falso 9. Como falei no último papo tático. A parada para a Copa América vai ser importantíssima para o Vitória, agora ainda mais por conta da troca no comando técnico. No mais é torcer e SE ASSOCIAR!

É isso ai!

Por Mateus Batista: @Mbatistasilva

Fotos: Edição nossa / ECVitória Divulgação.