Papo Tático: Guarani 3×2 Vitória

Papo Tático: Guarani 3×2 Vitória

15/05/2019 0 Por Mateus Batista

Em partida válida pela terceira rodada da Série B, o Vitória perdeu mais uma fora de casa, no dia em que comemorava seu aniversário de 120 anos. Mais uma vez, uma partida fraca tecnicamente pelo lado rubro-negro, com erros de posicionamento, mas principalmente de execução. O sistema ofensivo continua pouco produtivo. Sem uma meia central de origem, já que Ruy continua no DM, o Vitória não tem jogadas verticais. Muito toque para o lado e poucas ultrapassagens dos laterais. Definitivamente, é um time que não gosta da bola!

O JOGO

O técnico Cláudio Tencati fez duas substituições em relação ao time que venceu o Vila Nova, mas a estrutura da equipe se manteve a mesma. 4-2-3-1 sem bola, hora variando para 4-4-1-1, com Andrigo ficando atrás de Neto Baiano. Potó e Felipe Garcia recompondo para a segunda linha de quatro. Iniciou a marcação com bloco médio. Em alguns momentos, principalmente nas saídas de tiro de meta, subia o bloco (fato que ocorreu no gol de Neto). Na saída de bola, que no início do jogo acontecia com os zagueiros, sempre havia o deslocamento de Gabriel Bispo do meio para a lateral e Matheus Rocha já espetado pelo lado do campo, fazendo dobra com Garcia.

Vitória num 4-4-1-1 defensivo, com Andrigo um pouco mais recuado que Neto Baiano

O aniversário foi do Vitória, mas foi o Guarani que ganhou os presentes ontem. Todos os três gols do Bugre foram de falhas individuais. Esse foi o fator preponderante para o resultado negativo na partida. O primeiro chamou mais atenção pela falha do goleiro, mas a origem veio do seu zagueiro e capitão. No início da jogada, foi um lateral dado desnecessariamente. Na sequência do lance, totalmente fora de posição. No 1 contra 1, quase sempre é batido, e foi o que aconteceu. Esse abandono de posição tem sido atitude recorrente do camisa 3 do Vitória. Parte para o ataque de forma atabalhoada, sempre deixando o sistema defensivo desguarnecido. E quanto a Caíque, me permito não comentar.

Victor Ramos totalmente fora de posição

Como nossos volantes são poucos participativos na parte ofensiva, são apenas destruidores de jogadas, o sistema ofensivo do Vitória é fácil de marcar. Além de não existir o elemento surpreso, podemos observar erros de leitura por parte dos meia/atacantes. No lance abaixo, Andrigo até que circula bem a bola, achando Matheus Rocha livre, porém faltou aproximação de Felipe Garcia e do próprio Andrigo na construção da jogada.

Matheus Rocha sem apoio ofensivo para prosseguimento da jogada

Como ficou isolado, o lateral preferiu não ir para o embate e arriscou uma finalização de longe. Veja o quanto de espaço existente para aproximação.

Como não houve aproximação, tentou a finalização de longa distância

Jogador de futebol, quando entra num jogo, tem que ficar ligado, pilhado o tempo todo. Fazer leitura das jogadas, mesmo sem estar participando ativamente dela. Os jogadores do Vitória parece que dormem no campo. No lance do segundo gol, por exemplo, acontece duas situações desse tipo. Primeiro Léo Gomes não prevê a jogada na lateral e chega atrasado na cobertura de Matheus Rocha. O cruzamento saiu relativamente forte e Capa se assusta com a bola, indo pra cima dela. Com o desvio, ela sobra limpa para a virada do Bugre.

Léo Gomes não prevê jogada e chega atrasado na cobertura

OS DESTAQUES

Positivo: Gostei de Everton Sena. Fez uma partida segura.

Negativo: Caíque e Victor Ramos. Teria outros para citar, mas esses dois influenciaram diretamente no resultado negativo da partida.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A direção do clube precisa URGENTEMENTE de um goleiro que passe confiança. O clube já joga com o “gol vazio” a praticamente três temporadas. Logicamente precisa de reforços para todas as posições, mas como diz o ditado, um grande time começa com um grande goleiro. O baixo rendimento ofensivo é uma situação que me incomoda muito. Difícil de ver um clube que sempre teve características ofensivas, ser inoperante no ataque. O time não consegue construir uma jogada, e ficamos sempre com aquela sensação que o gol só vai sair por obra do acaso. A parada para a Copa América vai ser importantíssima para o Vitória tentar arrumar a casa nesse mês que não teremos partidas. No mais é torcer, SE ASSOCIAR e estar presente sábado, 16:30 no Barradão!

É isso ai!

Por Mateus Batista: @Mbatistasilva

Fotos: Edição nossa / ECVitória Divulgação.