Papo Tático: Vitória 2 x 1 Vila Nova – Sai Zika! E vamos subir negô

Papo Tático: Vitória 2 x 1 Vila Nova – Sai Zika! E vamos subir negô

06/05/2019 0 Por Adson Piedade

Depois de 3 meses o Vitória volta a vencer uma partida. A novidade do time foi os garotos da base Caique e Ruan atuando desde o inicio no Barradão.

Alem dos fatores preponderantes para o resultado do jogo, que foram a coragem de lançar dois garotos de primeira com destaque para Ruan que participou de forma ativa para a virada do placar, e a marcação pressão que foi o caminho para o sucesso, vamos também trazer aspectos da mudança de modelo de jogo e correções que Tencati vai precisar fazer.

Primeiro na saída de bola, o time está quebrado muita bola, tem que definir qual é o volante que aproxima para atrair quem vem por trás para receber. É verdade que VR3 por ter boa técnica sabe quebrar as linhas com condução.

Volantes sem dinâmica de movimentação para inicio de construção.

A segunda é de orientação, os garotos Ruan e Caique só recompõem depois que alinha da bola passa do lado que eles estão. É preciso explicar que as jogadas sempre começam de um lado e termina do outro, por isso eles sempre estão correndo atrás de lateral.

Exemplo:

Erro impacta na transição defensiva.

A transição ofensiva melhorou, mas, ainda carece de evolução nas leituras das jogadas pelos atletas. Atacar espaços, atrair oponentes, abrir brechas para outros companheiros fazerem a infiltração.

Veja:

Na capturar acima, Capa conduz bola que está descoberta, sendo assim, tem plena visualização do lance e espaço para pensar. Caso Neto fizesse a diagonal longa, iria atrair um dos zagueiros, podendo facilitar a vida do lateral, ou, lhe daria mais uma opção, ou até melhoraria a vida de Caique que recebeu a bola.

Nota-se também, na captura, o posicionamento agora dos meias extremos do Vitória na mudança de modelo de jogo, eles vão atuar um pouco mais para dentro, e entre linhas, para abrir corredor para laterais agudos.

Logo, quando o centroavante atacar aquela zona de ultrapassagem do ala, o mesmo em condução da bola, poderá carregar por dentro na diagonal.

Agora a captura que mais me agrada, gatilhos de pressão, que a meu ver, deve ser a melhor forma de marcação na Série B. Quando levamos em consideração que é uma competição tecnicamente inferior a Série A, então ocorrem mais erros de saída de bola dos adversários.

O Vitória iniciou o jogo dessa maneira, pressionando e criou boas possibilidades de jogadas. Uma delas desperdiçada por Rodrigo Andrade.

O gol da virada saiu da mesma forma, através de marcação alta e pressão ao portador e sobre a bola.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Houve mais entrega por parte dos atletas. O futebol em termos técnicos é o mesmo, varias precipitações nas decisões, erros de passe e fundamentos como domínio por exemplo. Nessa mudança de modelo de jogo destaco o posicionamento dos meias extremos e dos laterais, assim como a compactação em bloco médio que ficou boa, o time não foi muito incomodado no entre linhas. Individualmente falando, posso afirmar que para subir de divisão o time continua precisando dos jogadores chave de que um elenco de futebol necessita, um goleiro pronto e em bom momento, um meia central de dinâmica e com um bom poder de decisão e um centroavante que não só saiba fazer bem o pivô, mas que também seja forte na área e nos desmarque de ruptura de ultima linha, pois, reconhecemos que trazer um jogador nessa função que tenha também a jogada pessoal forte, é praticamente impossível no mercado. Outras posições ainda carecem, no entanto é aguardar os novos contratados jogar para avaliar novamente as deficiências do elenco. Vencer foi importantíssimo, continuar a crescer e estabilizar nosso jogo é a missão a partir de agora. É o desempenho bom e regular que leva as conquistas.

É isso aí galera!

Por: Adson Piedade / @AdsonPiedade

Foto: Edição nossa.