Papo Tático: Vitória 1 x Naútico

Papo Tático: Vitória 1 x Naútico

01/04/2019 0 Por Paulo Roberto

Em dia chuvoso e tarde de decisão, Vitória demonstra muita garra e vontade e empata contra o Naútico, conquistando a classificação na Copa do Nordeste.

Agora o rubro-negro baiano acumula 11 jogos sem vencer, enquanto o Timbú possui 16 jogos de invencibilidade. O treinador Claudio Tencati, promoveu a estreia do volante Paulo Vitor, cria da base do leão, e em jogo bem disputado, garante a vaga na próxima fase pro Vitória.

ANÁLISE DA PARTIDA

O Vitória começou muito bem a partida, foi pra cima do adversário, mostrando toda garra que havia sido propagada pelos jogadores e treinador durante a semana. No entanto, houve uma pequena desorganização, principalmente no ataque. A vontade atrapalhou a organização tática, mas nada de absurdo.

O Náutico é uma equipe bem organizada, não é atoa que está a tantos jogos sem perder, tem um bom volume de jogo, sabe trabalhar a bola, e complicou a vida do rubro-negro em alguns lances da partida. O Vitória fez o gol cedo, aos 11 minutos, após criar outras chances anteriormente. Placar de 1×0 até então, estava sendo justo.

Porém, o Náutico cresceu muito na partida após o gol sofrido, o Vitória recuou suas linhas e esperou o adversário, que mostrou êxito em propor o jogo, e conseguiu chegar ao empate em erro coletivo do Vitória. Em especial o de Ruy, semelhante ao mesmo do clássico na Copa do Nordeste, que também foi disponível para os nossos assinantes. (Confira nas imagens abaixo).

Nessa imagem podemos notar que Ruy erra ao ir pressionar o adversário, visto que, o mesmo já estava na marcação de Fabrício. Ocorreu o famoso “2 em 1”. Na imagem a seguir, vamos ver consequência deste erro.

Aqui vemos que Ruy deixou o lateral do Náutico livre, o camisa 10 deveria ter descansado no lateral invés de ter ido na marcação junto com Fabrício. O lateral adversário teve calma e espaço para efetuar um bom cruzamento para o gol. Yago e Léo Gomes, poderiam ter ido marcar o lateral também, já que estavam livres. Observação: Acho que o erro maior, é Ruy estar ali, posição que deveria ser ocupada por Yago, por jogar aberto, Ruy deve flutuar no meio campo, mas já que ali estava, devia ter feito a leitura do jogo correta, e, infelizmente cometeu novamente o mesmo erro. Vamos dar sequência.

Nessa terceira e última captura, vemos o erro de João Gabriel e Edcarlos. Esta imagem, mostra o momento exato que João Gabriel saiu da meta e se arrependeu, recuando novamente, facilitando o êxito no cabeceio do atacante. Edcarlos também teve uma participação negativa neste gol, o zagueiro permitiu que o atacante subisse sozinho, saltando bem distante do adversário.

Cláudio Tencati, trouxe o Vitória numa plataforma de jogo que era bastante utilizada pelo antigo treinador. (Confira na imagem abaixo).

Como podemos ver na imagem, o Vitória veio a campo num 4-2-3-1. Com Léo Gomes e Paulo Vitor fechando na segunda linha. Yago e Andrigo abertos com Ruy por dentro na terceira linha, e Neto Baiano isolado. Ruy fez uma boa partida, flutuando no meio de campo, trouxe mais dinâmica ao time.

E o primeiro tempo terminou assim, 1×1.

SEGUNDO TEMPO

A segunda etapa foi bem menos movimentada, Vitória e Náutico já deviam ter tido acesso no vestiário dos outros jogos da competição, vendo que ambos estavam se classificando, e fizeram um segundo tempo sem muita criação.

Ainda assim, pôde-se notar uma característica interessante do treinador Cláudio Tencati, que é vista em muitos momentos durante o jogo, mas principalmente, no início dos dois tempos. (Confira na imagem abaixo).

Aqui podemos notar o Vitória povoando o lado direito do campo com 8 jogadores dos 10 de linha, tendo apenas Edcarlos e Fabrício no lado esquerdo, buscando pressionar o adversário no arremesso lateral. Este método, tem que ser bem feito, pois pode gerar espaços. Neste lance mesmo se o lateral arremessa para o jogador destacado em branco, o mesmo teria muito espaço para concluir a jogada.

O Vitória desperdiçou outras oportunidades, assim como o Náutico, e sem sustos, o empate permaneceu.

O fator preponderante para o empate, foi a incompetência e falta de qualidade técnica dos atacantes dos dois times, mas em especial os do Vitória, que tiveram as chances mais claras. Neto desperdiçou três oportunidades, Andrigo pecou em outra, o jogo poderia ter terminado com um triunfo.

Fim de jogo, 1×1.

OS DESTAQUES

Positivo: Victor Ramos, Ruy, Yago e Jeferson, nesta ordem, ambos tiveram grande contribuição para a classificação, seja ajudando na defesa (Victor e Jeferson) ou no ataque (Ruy e Yago).

Negativo: Neto Baiano e Paulo Vitor. O primeiro perdeu chances claras de gol, que um centroavante não pode perder. Já Paulo Vitor, participou pouco do jogo, bem apagado.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Eu, particularmente, gostei do time, pôde-se notar muita vontade dos jogadores, muita vibração, principalmente no momento do gol, são aspectos que não víamos a um tempo. Acho que o time se ´´apequenou´´ em alguns momentos do jogo, quando abdicou de propor o jogo, e permitiu que o adversário ficasse com a posse, mas em si, foi um bom jogo, apesar do segundo tempo ter sido menos movimentado. O importante veio, que foi a classificação, mas, infelizmente, seguimos num jejum de triunfo. Vamos torcer para que o trabalho do treinador Claudio Tencati continue caminhando numa crescente.

É isso aí galera!

Por: Paulo Roberto/@Paulorobert1899

Foto: Edição nossa.