Papo Tático: Vitória 0x2 Flu de Feira

Papo Tático: Vitória 0x2 Flu de Feira

19/03/2019 0 Por Mateus Batista

Difícil até de começar a escrever! Vamos falar sobre a última partida da fase de classificação do Campeonato Baiano, onde o Vitória, que só dependia de uma vitória simples, perdeu mais uma vez dentro de casa e de quebra ficou de fora da fase final. Chamusca fez algumas alterações em relação a partida contra o Confiança. Jogando num 4-4-1-1, voltou com Matheus Rocha à lateral, mudou a dupla de volantes e Andrigo que fez uma função mais centralizado, jogando atrás de Neto Baiano

ANÁLISE DO JOGO

Com a plataforma um pouco diferente das outras partidas, onde existia uma linha de três meias, num 4-2-3-1, o Vitória jogou quase num 4-4-2 tradicional, com dois meias e dois atacantes, particularmente um esquema que me agrada. Como Matheus Rocha vinha tendo uma queda de rendimento jogando de meia pela direita, recebendo a bola de costas, Chamusca sacou Jeferson e retornou o jovem lateral a sua posição de origem. A dobra na lateral esquerda de Fabrício com Juninho não foi eficiente.

Podemos ver o Vitória posicionado num 4-4-1-1, com Andrigo a frente das linhas de quatro

O Vitória continuou com os mesmos problemas de construção. Bola lenta, previsível. Ponto esse que pode melhorar com a entrada de Fabrício. Nessa partida foi possível ver o lateral de origem acelerando a bola em alguns lances, colocando a “bola pra correr”.

ESCOLHAS DO TREINADOR

Chamusca acabou fazendo escolhas, no meu ponto de vista, equivocadas durante a partida. A primeira deles foi a saída de Fabrício com 30 minutos de jogo. Ele tinha duas opções no momento que ia colocar Léo Ceará no jogo:

1 – Saída de Juninho, que estava muito mal no jogo, e deslocar Fabrício para lateral;

2 – Poderia ser mais arrojado e sacar Vilela, que passeava no campo, e recuar Fabrício para fazer o segundo volante. Teríamos uma saída de bola mais qualificada.

Mas o treinador preferiu manter Juninho, que falhou feio no primeiro gol do Flu. O portador estava quase no meio campo, sem ser abafado por ninguém, teve espaço para dominar, pensar e lançar por trás da defesa. Juninho não acompanhou a linha, se posicionou mal e deixou em condição o atacante do Fluminense.

Juninho se posiciona mal, faz a leitura errada da jogada e deixa em condição legal o atacante do Flu de Feira

Com o gol sofrido no início do jogo, o time se desequilibrou emocionalmente e em momento nenhum assustou o Fluminense. Com a entrada de Léo Ceará, o time variou para um 4-2-1-3 quando tinha a posse de bola.

Equipe passou a jogar com três atacantes

Mesma com a bola em seu domínio, o Vitória não era efetiva nas jogadas ofensivas. Com a bagunça defensiva, o Fluminense chegou com muito perigo ao gol de Ronaldo. Já no intervalo, Chamusca tentou corrigir o erro da saída de Juninho, mas embolou tudo. Tirou o lateral esquerdo e colocou Jeferson, lateral direito, para fazer a função. Foi uma salada mista. Ainda tentou alguma coisa com a entrada de Felipe Garcia no lugar de Leandro Vilela. Encheu a linha de frente de atacantes e esqueceu de dar amplitude ao time. Ficou aquela bagunça na entrada da área adversária.

OS DESTAQUES

Positivo: Victor Ramos, que em sua reestreia pelo Rubro-negro baiano, fez de tudo em campo. Defendeu bem e acabou sendo o melhor armador da equipe.

Negativo: Posso escolher com a mão cheia. Mas pelas lambanças, Chamusca.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Final de linha para Marcelo Chamusca no Esporte Clube Vitória. Acho que foi minha maior decepção nesses primeiros três meses do ano. Esperava mais do treinador, mesmo com um elenco limitadíssimo. O Vitória continua com problema de construção de jogadas e no elenco só tem Ruy com essas características. Agora teremos mais dois jogos na Copa do Nordeste e esse time vai precisar de uma reestruturação completa para jogar a Série B do Brasileirão.

É isso ai galera!

Por: Mateus Batista / @mbatistasilva

Fotos: Edição nossa